terça-feira, junho 20, 2006

Literatura Fantástica #0 - AS FABULOSAS AVENTURAS DE SALOMÃO KANE

Criado por Robert E. Howard, Salomão Kane é um dos aventureiros mais famosos da literatura fantástica. Puritano por natureza, Salomão Kane é um homem que se rege pelos princípios da honestidade, verdade e coragem. Bravo "cavaleiro andante", Kane parte à aventura pelas mais variadas paisagens, desde caminhos sinuosos e poeirentos, altas ravinas, penhascos inexplorados, pântanos fétidos, até à savana africana, em tempos remotos e por onde o homem branco nunca antes tinha caminhado. Este protagonista é uma espécie de herói inglês do séc. XVI, numa altura em que se desconheciam ciências e rituais ocultos, que combate toda a espécie de magia negra, vampiros e até vudu, se bem que por vezes tenha como "irmão de sangue" um feiticeiro africano de nome N´Longa. O facto de Kane (homem alto, magro, esguio e veloz como uma serpente, dotado de uma força extraordinária) não ter grande conhecimento destas "forças do mal", é no fundo, o que faz dele um combatente temível. Agarrando-se à sua fé inabalável, consegue extrair força e vontade para combater o mal que há no mundo. Recomendo vivamente a todos os amantes do género. As Fabulosas Aventuras de Salomão Kane reúnem uma das melhores selecções de contos sobre este homem, onde no final de cada um, se fica ansiosamente à espera do seguinte, expectantes por saber que trilhos e aventuras aguardam o Puritano. Editado pelas Edições Saída de Emergência, fica aqui um conto deste livro em formato pdf, para que possam tomar um gostinho.

Boas leituras!


Mauro Bex : maurobindo

1 comentário:

maurobindo disse...

Terminado o livro ficou a saudade. Por vezes não nos apetece deixar de ler aquele livro, que durante um determinado espaço de tempo nos acompanhou e decorou a nossa mesa de cabeceira. Facto que é importante destacar, é a excelente tradução conjunta de 5 tradutores; das melhores que vi e li; os meus parabéns. Concluo com um poema da última página:

"(...)

Mãos tentaram segurá-lo, mas o brilho vagabundo
dos seus olhos cresceu em intensidade,
E Salomão Kane afastou-os a todos,
e desapareceu na noite da cidade.
Nuvens selvagens rodearam uma lua selvagem,
e o branco das cristas das ondas emergiu,
Quando Salomão Kane partiu de novo,
e ninguém sabe por que estrada seguiu.

Avistaram a sua silhueta ao luar numa colina,
de névoa coberto o firmamento,
Ouviram um estranho chamamento ecoar,
a ser transportado pelo vento.
E abandonando a taverna, Salomão Kane partiu
mais uma vez para novos lugares,
Ele escuta o clamor dos ventos,
ele cedera ao apelo dos bramidos dos mares."

Robert E. Howard


Assim é Salomão Kane...