sexta-feira, outubro 15, 2010

New York Comic Con´10 - Os autores


Este post é o segundo relacionado com a New York Comic Con´10, desta feita sobre os autores que fui encontrando no Artist´s Alley. Não me vou alargar muito com comentários, porque mais vale apreciar as fotos e ver algumas caras conhecidas e alguns trabalhos maravilhosos de tantos artistas que por aqui passaram.



Em alguns momentos colocarei uma nota ou outra, com referência a algum autor para os mais distraídos, ou sobre algo interessante que tenha acontecido em determinado momento. Por ora, aproveitem as fotos e a algazarra de uma convenção com esta magnitude!



Greg Horn! Que figura! Este homem fala pelos cotovelos e contou umas histórias bem engraçadas dos desenhos que tinha expostos. Vou tentar lembrar-me de algumas coisas que ele contou, como legenda debaixo de algumas fotos.







Aqui ele diz assim, "esta cena se virem bem, dizem já que nunca seria possível de acontecer, a Elektra e o Bullseye agarrados e aos beijos. Mas, se repararem bem na mão dela...", e aponta para a nuca do Bullseye. Pormenores...









E esta também é muito boa! "Entra o Cyclops, e vê a Emma Frost com a Jean Grey a fazerem um treino de reanimação na cama...", tá-se mesmo a ver o que o desgraçado achou...



Adoro este desenho! Não são precisas palavras.



Sana Takeda foi uma bela surpresa. Saberia que ela estaria na convenção, mas como ocorreu com tantos outros, já que não sei o funcionamento de algo assim, não saberia se estaria só num dia, se em todos. Tive sorte e apanhei-a na 6ª feira em que fui. Como não tinha nada mais, levei uns postais dela e pedi que mos assinasse, como já mostrei noutro post. Fica aqui o sorriso de uma das artistas que mais gostei de descobrir recentemente, e que fez, a meu ver, uma das melhores capas de comics de todos os tempos. E é uma querida!









Os dois postais acabadinhos de serem assinados :)





Ben Templesmith, é Ben Templesmith. Quando o vi não queria acreditar... este tipo é um dos meus artistas de eleição, que para além de ter um jeito fenomenal para desenhar e completar as suas artes com tinta e cor sem precisar desse apoio de outra pessoa, também consegue criar argumentos com um requinte humorístico muito peculiar e com uma qualidade acima da média. Assim sendo, aproveitei para me colocar na fila para os autógrafos e para ver se conseguia trocar dois dedos de conversa com ele. Mas, passado um bocado apercebi-me que não tinha nada para que ele assinasse (nem vi que havia exemplares do Choker em cima da mesa). Acto contínuo, corri para a banca da Image Comics, que era noutra secção da Comic Con. Ao chegar lá em passo acelerado, dou de caras com o Todd McFarlane (já coloco as fotos, mas esta história está ligada com a do Templesmith)! Fiquei sem saber o que fazer... Perguntei aos assistentes e disseram-me que o Templesmith iria estar ali também, dali a umas 2h. Pensei logo em ir para a fila e ganhar um autógrafo do McFarlane mas esta fila era por reserva ou por pagamento... Voltei para trás e para a fila de onde tinha saído, para nada. Mas lá cheguei à frente e conversei um bocado com o Templesmith que é um gajo super porreiro, muito bem disposto e com uma forma de conversar e colocar os assuntos muito engraçada. Trouxe o Choker autografado e até tive direito a um cartão pessoal :)











Todd McFarlane é dos artistas que mais respeito, pelo seu percurso profissional. O principal para mim foi quando decidiu criar, em conjunto com outros, a Image Comics, de forma a trazer os comics como propriedade dos seus criadores e não apenas das editoras. Por isso e pelo que a personagem Spawn significa para mim, tendo surgido numa altura em que me voltei a aproximar muito mais da Banda Desenhada, gostava muito de ter um autógrafo ou ter trocado umas palavras com ele. Paciência, fica para uma próxima oportunidade.









William O´Connor, autor de Dracopedia, após ter autografado o meu exemplar. Achei o senhor meio carrancudo, talvez por ninguém parar muito por ali, mas o livro é de uma qualidade exemplar.



Os desenhos são fenomenais, a informação sobre as espécies de Dragões é bestial e muito importante para quem gosta da temática, e o acabamento do livro é muito bom. Recomendo muito!





Depois de algum tempo, lá dei com a banca onde estavam os portugueses. O João Lemos não estava no momento em que passei por lá, mas o Filipe Andrade, o Nuno Plati, o Ricardo Tércio, Ricardo Venâncio e o J. Coelho estavam presentes com alguns dos seus trabalhos e a representar muito bem o nosso país.









Consegui conversar com o Filipe bastante tempo e o pessoal de Portugal ficou surpreendido por ver ali dois tugas no meio da confusão. Eles estavam felizes da vida, pelo menos parecia, e espero sinceramente que tenham conseguido aquilo que almejavam, ou seja, arranjar trabalho, ganharem projecção e visibilidade no mercado dos comics. Desejo-lhes o maior sucesso do mundo e que o trabalho seja sempre muito! Mais à frente troquei algumas impressões com o J. Coelho, que estava mais afastado deste grupo compacto, mas que me pareceu bastante satisfeito por poder estar ali.



Depois veio Adam Hughes, outro portento dos comics. O mais engraçado foi o facto de ele ter posado para a foto, que é muito característico aqui. E o Filipe Andrade ainda me disse "já viste quem é que está aqui atrás? Então vai lá ver." Era este senhor.









Leinil Yu é outro daqueles que dispensa apresentações. Há muita gente que gosta da sua arte, outros nem tanto. Eu curto muito o traço dele. Mesmo ao lado estava David Finch, que mais tarde estava na banca da DC a autografar novamente. 2 Mestres bem jovens!













Também vi Brian Bolland. Respect!





E o William Tucci também, criador de Shi, personagem que gosto bastante. Se bem que o achei um pouco bimbo estado-unidense (sei que é à brasileira, mas é o que faz mais sentido para identificar alguém deste país).







Billy Tan foi dos encontros mais curiosos. Estava acompanhado do seu filho Gavin, que orgulhosamente desenhava ao lado do pai e vendia um exemplar do seu primeiro trabalho. Só espero não me arrepender daqui a uns anos por não ter adquirido a preciosidade...











Já sei que muita gente não gosta do Humberto Ramos, mas há os outros que gostam bastante. Eu sou um deles e também não fazia ideia de que o encontraria aqui. Foi uma boa surpresa.









Eric Kim acabou por ser um típico exemplo do espírito que reina neste lado da convenção. O artista procura o transeunte para mostrar o seu trabalho e de preferência, vender alguma coisa. Teve sorte, porque acabou por vender à Carla "The Complete Plans of William Shakespeare". Mas teve de deixar uma dedicatória.











O David Lloyd estava lá. Aparentemente...





E assim chegamos ao fim de um extenso post, dedicado aos autores desta New York Comic Con´10. Ainda fica a faltar um sobre "As personagens" que marcaram esta festa da Banda Desenhada e da animação.
Se para o ano pudesse voltar...


Mauro Bex : maurobindo

13 comentários:

tadeu disse...

hombre, não te conheço, mas estou muito feliz por ti.
obrigado por este magnífico post que conseguiu transportar-me para um ambiente que sempre desejei conhecer.
sou um fã de bd, mas num escalão muito pequeno, mas com paixão qb sobre o tema e teu blogue faz esta paixão manter-se.
parabéns e obrigado pela partilha!!
abraço e bom fds :)

salamandrine disse...

"teve sorte, porque acabou por vender à Carla "The Complete Plans of William Shakespeare". Mas teve de deixar uma dedicatória."

também, com um titulo desses, apanhou um alvo munta fácil! :DD

maurobindo disse...

Tadeu, obrigado pela palavras!
A ideia do blogue é essa, partilhar experiências, vivências e alguns livros que possam agradar a mais pessoas. Sinto que assim a missão vai sendo cumprida :)

Salamandra, estava-se mesmo a ver não é?! Caiu sem muito esforço ;)

Loot disse...

Epá muito bom caramba, quero ver isso tudo depois :P

maurobindo disse...

Com certeza :)
Até tenho aqui uma coisa para ti, hehe!

Loot disse...

Epá assim a vontade ainda é amior :P

Obrigado

RuiR disse...

Tens a certeza que estavas em NY, ou entraste numa realidade paralela e foste parar ao "Paraíso" ?
:-)
Excelente post.

Nuno Miguel Lopes disse...

Olá Maurobindo.

Belo post sobre a NY Comic Con 2010.

Pelo que viste no evento, a situação que referiste sobre o pagamento para a fila do McFarlane é algo que aconteceu com vários autores? Ou seja: é prática comum à maioria das sessões de autógrafos na NY Comic Con um fã ter de pagar para ter o autógrafo de um autor ou acontece apenas com as "grandes estrelas"?

maurobindo disse...

Rui, apesar de a realidade ser outra e me tivesse sentido transportado para outra dimensão, posso dizer que é o paraíso para qualquer fã de BD. Mesmo!

Nuno, pelo que entendi só os grandes cromos têm fila com reserva, que não sei se é paga ou não, mas só com reserva feita. Nem averiguei como se fazia tal coisa...
Com o Ben Templesmith, por exemplo, foi só ir para a fila. Ele assinava-te o livro se o tivesses contigo, ou se comprasses ali um exemplar. E isto é o normal por lá, como praticamente todos os artistas.
No entanto, se quiseres que te façam um desenho, todos, sem excepção, cobram pelo esboço. Não é como cá, que vais para a fila e eles te fazem um desenho à borla. Ali, pagas... é outro mundo e eu percebo o porquê de ser assim.

Nuno Miguel Lopes disse...

Claro, é outro mundo. Há que compreender as diferenças culturais e de mentalidade.
É apenas curiosidade de quem nunca foi a uma Comic Con. ;)

maurobindo disse...

Eu fiquei com a ideia de que todos os fãs de Banda Desenhada, deveriam pelo menos uma vez na vida, vir a um evento destes. Vale a pena viajar só por isto, garanto-vos :)
Apesar de não ter sido o meu caso, que foi uma feliz coincidência... :)

Optimus Prime disse...

Isso é que foi uma visita,rechedas de compras de comics e autografos.

maurobindo disse...

Uma experiência a repetir! Várias vezes se possível :D