sábado, março 07, 2015

Arrow season 3

Já passaram quase 7 meses desde o último post, algo inédito desde que o 9ª Arte foi criado, e o tempo de mudar chegou. Posso dizer que o facto de estar a acompanhar a terceira temporada de "Arrow"  me incentivou a chocalhar esta inércia bloguiana (se é que tal palavra existe).


Foquemos em "Arrow". Mais do que analisar demasiado, vou procurar uma abordagem mais generalizada nas novas personagens e com isso, vêm sempre alguns spoilers.
"Arrow" sempre foi uma série generosa em dar-nos novas personagens. Uma das melhores é sem dúvida a inclusão de Ras al Ghul (ler "Rass al Rul") como presença assídua e fundamental para a trama da 3ª temporada. "The head of the devil" tem até aqui (Ep. 15) dois momentos altos, trespassar Oliver Queen com uma espada após o duelo entre ambos e no último episódio convidar Oliver a ser o próximo Ras al Ghul.
Sim, Oliver é supostamente assassinado num duelo estupidamente travado pelo mesmo. Digo isto porque o especialista do arco e flecha lembra-se de lutar com espadas... Este deveria ser um momento altíssimo da série que foi estragado por uma imbecil escolha de armas. Ainda assim tem pontos muito bons, pois podemos perceber melhor a personagem Ras al Ghul, os seus princípios e valores.
Mais à frente, depois de Oliver já ter sido trazido à nossa realidade, voltado a Nanda Parbat (casa da Liga dos Assassinos) e capturado numa tentativa de salvar Malcom Merlin, Ras al Ghul propõe que o Arrow seja o seu sucessor. Para saber o resto temos de esperar pelo próximo episódio.


Um parêntesis, ainda não tenho a certeza (só teorias) do porquê dos nomes de alguns vilões da DC serem de origem marroquina em termos de dialecto (darija). Já se sabe que o povo dos Estados Unidos tem uma apetência a "vilanizar" tudo o que tenha origem árabe e o que não falta são pseudónimos na Liga dos Assassinos para o provar. Mas no caso de Ras al Ghul é muito específico, pois trata-se de um termo usado somente em dialecto darija (dialecto falado em Marrocos e totalmente diferente da língua árabe clássica) e isto torna tudo mais interessante de perceber. Pode ser que em breve já tenha reunido mais pistas para perceber isto melhor...


Nos entretantos temos vários pontos fortes: uma interessante "transformação" de Thea Queen após o seu desaparecimento e treino com o pai Malcom Merlin, se bem que esperada pelo desfecho da última temporada; o assassinato de Sara Lance (Canary) e a incessante "saga" da irmã Laurel na tentativa de capturar o seu responsável e que leva à inclusão de Ted Grant (Wildcat) na série, antigo vigilante agora treinador de boxe que aceita Laurel no seu ginásio; o crossover com Flash é muito bom e foca bastante nas disparidades entre os dois personagens, nas suas realidades e modo de actuar - para além disso, temos uma breve aparição em dois episódios de Captain Boomerang; finalmente, temos a inclusão de The Atom como presença constante na série - penso que este seja mesmo o grande trunfo da nova temporada, agora quero vê-lo em acção, pois no último episódio o homem já voou no seu fato!


Gostei ainda de ver, mesmo que por um só episódio, o regresso de Death Stroke. Pena que está muitos furos abaixo daquilo que era nas temporadas anteriores.
A personagem Cupid surge só num episódio e ainda bem...
O vilão Brick ocupa bastante tempo na primeira metade desta temporada, mas talvez por falta de interesse e criatividade, já faz parte do passado.
Os flashbacks continuam a ser fundamentais na série para percebermos o que aconteceu a Oliver Queen nos 5 anos que esteve supostamente morto, e nesta 3ª temporada Hong Kong é o principal palco de acção.
Tenho pena de não ver mais de Wildcat na série, se bem que a sua continuidade seria pouco relevante para o desenrolar dos acontecimentos. É uma personagem muito forte e interessante com excelentes momentos com Laurel e Oliver, espero que até ao fim da temporada apareça mais vezes.

Venha mais Arrow!
Agora vou começar a ver "The Flash"...

1 comentário:

Nelinha Borges disse...

Portugal is the Biggest Racist country that i have ever lived in. I feared for my life there and i consider myself lucky that my family got out alive! I have never lived in such poverty (Sopas dos Pobres everyday) 40% unemployment rate and 60% of the population earn less than $932 USD per month, and that's considered Middle Class here! Within the European Union it is the worst of the worst place to live.

The bottom line is the bulk of the People in our poor country exist in a brainless comma that is fed by Ignorance, anti-Spanish hate, and severe Racism of pretty much everybody that isn't Portuguese! And, Portugal started the Global Slave Trade in 1441 so it is definitely NOT a safe place for Blacks!!

I found important websites that explain the Severe multi-generational Racism and Hate that exist in Portugal today, and i highly encourage all to read them and spread the word in order to avoid innocent, and desperate people from living or visiting there. Get educated on the Truths about Racist Portugal now.



1) https://www.theroot.com/a-white-journalist-discovers-the-lie-of-portugal-s-colo-1790854283

2) https://saynotoracistportugal.neocities.org/

3) http://www.discoveringbristol.org.uk/slavery/routes/places-involved/europe/portugal/

4)SOPAS DOS POBRES EVERYDAY IN PORTUGAL BECAUSE OF NON EXISTENT ECONOMY:

https://www.noticiasaominuto.com/pais/764453/sopa-dos-pobres-foi-criada-ha-anos-mas-ainda-existe-problemas-persistem

5) http://www.ipsnews.net/2011/10/portugal-crisis-pushes-women-into-prostitution/

6) https://www.theatlantic.com/business/archive/2013/06/the-mystery-of-why-portugal-is-so-doomed/276371/


Be SAFE friends. Hugs.
-----------------------------------------------------

Portugal: DESTROYER OF CIVILIZATIONS!

Everywhere Portugal set foot, they ended up wipping-out all the Indigenous peoples living there! Not a very friendly colonizer!!

Portugal is a racist and xenophobic society! And, NOT a safe place for blacks!

SAY NO TO PORTUGAL TODAY!