sexta-feira, novembro 08, 2013

Arrow


Sem grandes expectativas, comecei há uns meses a ver "Arrow", a série televisiva que aborda a vida de Oliver Queen, o Green Arrow criado pela DC Comics há décadas. Não podia estar mais enganado relativamente ao conteúdo. Fiquei surpreendido pela positiva e fiquei fã da série. Neste momento a 2ª temporada já vai no episódio 5, mas vou focar um pouco na 1ª.


Algo que para mim é fundamental para que uma série televisiva seja credível é forma como constrói as suas personagens. Um protagonista forte tem carácter, é fiel aos seus princípios e instintos, mesmo que muitas das vezes esteja errado nos julgamentos que faz. Ao mesmo tempo, sabe reconhecer o erro perto daqueles em quem confia. Oliver Queen era um playboy, um tipo com dinheiro e tempo a mais. Um dia decide embarcar com o seu pai numa viagem de barco até à Ásia para de lá nunca mais voltar. Ou assim pensavam familiares, amigos e tablóides. 5 anos depois Oliver retorna a Starling City. Mas não é o mesmo. Ele teve de se tornar noutra coisa, noutra pessoa.

"Arrow" deixa-nos acompanhar Oliver na sua jornada de vigilante, aquele que quer salvar uma cidade como promessa ao falecido pai. O enredo ganha densidade com constantes viagens ao passado de Oliver, nos 5 anos em que esteve desaparecido numa ilha distante e com características muito próprias. É esta ilha do inferno que molda o novo Oliver, que o torna perito no arco e na flecha, mas temos de ver mais para saber mais.


Mas Oliver não está sozinho. Gradualmente vai reunindo à sua volta uma equipa de bastidores, da qual fazem parte Digg e Felicity, um ex-militar e segurança de Queen e uma nerd informática que consegue entrar em qualquer sistema do mundo. Aliados preciosos para uma demanda que todos os dias roça a morte. E é neste aspecto que a série volta a ganhar pontos. Não é só o protagonista a pedra forte deste jogo, Laurel, a ex-namorada, e o seu pai, o detective Lance, são peças enormes neste tabuleiro que é Starling City. A própria família de Oliver, Moira e Thea, mãe e irmã respectivamente, são de uma importância enorme no desfecho de tantos acontecimentos. Não estão lá por estar, para encher o ecrã, preenchem a história e dão-lhe fundamento e realidade.

Mas chega de palavreado, se têm curiosidade como eu tinha e ainda não viram "Arrow", fica a minha recomendação. Aproveito para levantar um pouco o véu de algo interessante na 2ª temporada, aliás, duas coisas: a introdução de várias personagens do universo DC, muito mais do que na season 1, e uma guinada de abordagem de Oliver enquanto vigilante, que, aparentando cair no cliché e simplicidade, verificamos muito o contrário, ficando assim a personagem muito mais enriquecida.



Para finalizar, um bom exemplo desta mudança de que falo da primeira para a segunda temporada, no mote que abre cada episódio.

SEASON 1
"My name is Oliver Queen. For five years I was stranded on an island with only one goal. Survive. Now I will fulfill my father's dying wish. To use the list of names he left me and bring down those who are poisoning my city. To do this, I must become someone else. I must become... something else."

SEASON 2
"My name is Oliver Queen. After five years on a hellish island, I have come home with only one goal... To save my city. But to do so, I can't be the killer I once was. To honor my friend's memory, I must be someone else. I must be... something else."
—Oliver Queen

6 comentários:

Optimus Prime disse...

Por acaso surprendeu e muito menos Smallville que o esperado.
A 1a temporada pode ser vista na Rtp 1 aos Domingos as 15 da tarde a partir do 16 episódio e no Axn a partir do 4 episódio as 21.30.

Mauro ZiBex disse...

Não sabia que estava a passar na RTP e AXN, isso é bom. Mas já agora, eles começaram a passar a série desde o início ou só a partir desses episódios e ignoraram o que estava para trás?

Abraço,

Optimus Prime disse...

Desde o inicio nas 2as o Axn a 3 semanas e a RTP a mais de 20 semanas.

jony da costa disse...

Já acompanho desde o ano passado e sou fã.
Comparar esta excelente série a smalville é um ultaje.
A série, no meu ver, consegue ser superior ao personagem dos comics.
As histórias cativam bastante, são muito bem filamadas e quem é fã da trilogia de Batman de Nolan vai adorar, alias a série inspira-se bastante no 1º filme.
quem já viu o fim da 1ª temporada e estes ultimos episódios da 2ª temporada vai percever.

Loot disse...

tinhas razão, fiquei convencido. Não estava à espera que me entusiasmasse tanto.

Acho que a Laurel, infelizmente, é a personagem mais fraca. Aliás as grandes personagens femininas da série são a Felicity e a Moira.

Abraço

Mauro ZiBex disse...

jony da costa,
não posso comparar Arrow a Smallville por nunca ter visto a segunda, mas sempre me passou a ideia de ser algo muito adolescente, o que nada tem a ver com Arrow. Concordo com a qualidade com que a série é filmada, como dizes em comparação com o Batman de Nolan, há sempre um lado negro bem acentuado neste Oliver, o que dá um cariz bem mais real à personagem.

Loot, ainda bem que ficaste convencido :D Eu sou fã!
Em relação à Laurel, tinha potencial para ser uma personagem mais bem concretizada, mas acho que passa pela escolha da actriz, que na segunda temporada parece outra pessoa (não sei se foi plástica ou assim...). Concordo que Moira e Felicity são, sem dúvida, as personagens femininas mais fortes, mas a Thea vai crescendo de importância e atitude à medida que a série se desenrola e isso faz-me achar que é também uma personagem a ter em conta.